Inspirações | Cais Mauá

Inspirações

Conheça projetos de revitalização que amamos

O abandono de áreas portuárias é comum em diversas grandes cidades do mundo.

Para dar uma nova vida ao antigo cais de Porto Alegre, buscamos exemplos em diferentes lugares. Conheça experiências de revitalização que nos inspiram.

Porto Antico, Gênova, Itália

A companhia Porto Antico di Genova S.p.A. foi criada em dezembro de 1994 e entrou em funcionamento em janeiro de 1995. Como ocorre com a Cais Mauá do Brasil, ela surgiu especialmente para gerenciar o projeto de restauração do antigo porto genovês e devolvê-lo à comunidade. A cidade garantiu, até 2050, o direito de a empresa explorar os 130 mil metros quadrados: 71 mil metros quadrados de área interna e 59 mil metros quadrados de área externa. Hoje, o Porto Antico de Genova é uma atração turística.
Foto: Shutterstock

PORTO ANTICO, GÊNOVA, ITÁLIA

Um dos principais focos do porto italiano revitalizado é a promoção de atividades culturais e a disponibilização de espaços próprios para conferências e reuniões e demais locais que possam ser úteis para o público. Seguindo essa tendência, o Cais Mauá terá espaços para eventos de diferentes tamanhos na área dos armazéns e do antigo Frigorífico do Porto.
Foto: Shutterstock

PORTO ANTICO, GÊNOVA, ITÁLIA

Em Gênova, de junho a setembro, os visitantes podem contar com uma piscina para afastar o calor. Já no inverno, uma boa pedida é a pista de patinação do gelo – a única na Itália com vista panorâmica do mar. Tudo isso em uma atmosfera histórica. Como ocorrerá no cais de Porto Alegre, grandes guindastes portuários foram restaurados e compõem a paisagem, recebendo iluminação especial.
Foto: Shutterstock

PORTO ANTICO, GÊNOVA, ITÁLIA

O Aquário de Gênova é uma das principais atrações de Porto Antico. Desde 1992, encantou mais de 24 milhões de visitantes com seus tubarões, pinguins, golfinhos e os simpáticos peixes-bois. Apenas o pavilhão dos cetáceos, aberto em 2013, conta com 70 tanques e mais de 15 mil animais de 400 espécies diferentes.
Foto: Shutterstock

PORTO ANTICO, GÊNOVA, ITÁLIA

Que tal ver Gênova de outro ângulo? O Bigo é um elevador panorâmico projetado pelo arquiteto italiano Renzo Piano, inspirado na forma dos antigos guindastes que carregavam os navios. A cabine leva os visitantes a uma altura de 40 metros e, na rotação, oferece uma vista completa do porto e da cidade.
Foto: Shutterstock

PORTO ANTICO, GÊNOVA, ITÁLIA

Depois, que tal dar um pulo na biosfera? A estrutura esférica de metal e vidro, também projetada por Renzo Piano, é um microclima que abriga mais de 150 espécies de animais e plantas, entre tartarugas, peixes e pássaros. Já os amantes do esporte não podem perder a oportunidade de conhecer o Museu de Gênova. Nele, estão mais de 120 anos de história do futebol italiano, além de espaços dedicados ao atletismo, ciclismo, entre outros. São mais de 500 peças em exposição.
Foto: Shutterstock

PORTO ANTICO, GÊNOVA, ITÁLIA

Já o Museu Luzzati agradará aos amantes da arte contemporânea. Nomeado em homenagem ao designer e ilustrador Emanuele Luzzati, o museu traz exposições que vão do cartum a filmes de animação. Outro museu imperdível em Porto Antico, o National Antarctic Museum oferece a experiência de ser explorador por um dia. Porto Antico, ainda oferce espaço de cinema, lojas, a livraria De Amicis e restaurantes que oferecem de refeições tranquilas e cafés a danceterias.
Foto: Shutterstock

Port Vell, Barcelona, Espanha

Localizado às margens do Mediterrâneo, Port Vell é a parte mais antiga do Porto de Barcelona. Como tantas outras cidades pelo mundo, Barcelona negligenciou por décadas o local, que acabou se tornando uma área decadente e perigosa. A própria população da cidade já estava descrente em relação a uma possível recuperação do espaço. Hoje, é um dos pontos turísticos mais visitados da Europa.
Foto: Shutterstock

Port Vell, Barcelona, Espanha

A partir do final da década de 1980, Port Vell recebeu grandes investimentos e passou por um processo de revitalização. Mas até chegar a esse ponto, o projeto enfrentou polêmicas e desafios. Em 1989, jornais e revistas mostravam o debate sobre o que seria feito no local, já que a relação do porto com a cidade sempre foi encarada do ponto de vista econômico. Atualmente, o porto de Barcelona é um cartão-postal mundial!
Foto: Leonardo Brant/Divulgação Cais Mauá

Port Vell, Barcelona, Espanha

As reformulações da cidade para a Olimpíada de 1992 agilizaram o processo de conclusão. O caso de Barcelona é muito bem conhecido pelos arquitetos da b720 Arquitectos, escritório espanhol de Fermín Vasquez, que, junto com o Jaime Lerner Arquitetos Associados, do ex-prefeito de Curitiba e ex-governador do Paraná, ajudaram a formatar o conceito do projeto para o Cais Mauá de Porto Alegre.
Foto: Shutterstock

Port Vell, Barcelona, Espanha

Port Vell foi inaugurado em 1992 proporcionando um local único a turistas e para a população de Barcelona, em um complexo que une opções de lazer, esportes, compras, entretenimento, gastronomia e cultura. Transformou-se em uma das zonas de maior qualidade urbanística da Europa, com o porto totalmente integrado à cidade.
Foto: Shutterstock

Port Vell, Barcelona, Espanha

Um dos melhores locais para apreciar a beleza do porto de Barcelona revitalizado é do teleférico, chamado de Teleferico del Puerto ou Teleferic del Port, que liga Port Vell à montanha de Montjuïc.
Foto: Shutterstock

Port Vell, Barcelona, Espanha

Desde então, Port Vell vem se consolidando e hoje é um espaço de referência para moradores e turistas. Mais de 16 milhões de pessoas visitam o porto a cada ano. Entre as grandes atrações está La Rambla del Mar, construída para facilitar o acesso à região central de Barcelona. O espaço é um passeio construído sobre a água, como uma continuação natural das famosas ramblas da cidade. Essa passarela de madeira faz as vezes de ponte levadiça para as embarcações estacionadas na marina.
Foto: Shutterstock

Port Vell, Barcelona, Espanha

O Port Vell, em catalão, ou Porto Velho, em português, ainda abriga o Imax Aquarium, o maior aquário de Europa com 11 mil animais e 450 espécies diferentes, o Museu de História da Catalunha e restaurantes à beira-mar, onde se pode apreciar uma típica paella.
Foto: Shutterstock

Victoria & Alfred Waterfront, Cidade do Cabo, África do Sul

Situado entre a Robben Island e Table Mountain, o antigo porto da Cidade do Cabo foi construído pelo filho da Rainha Victoria (Alfred), em 1860, para proteger os navios do forte vento no inverno. Abandonado em 1960, foi remodelado em 1988 e combina atividades comerciais e de lazer com a operação portuária, num clima charmoso.
Foto: Shutterstock

Victoria & Alfred Waterfront, Cidade do Cabo, África do Sul

A principal característica do projeto foi a conversão da área para uso misto residencial, comercial e turístico, além da manutenção da operação portuária, com resgate das edificações históricas antes existentes ou reconstruídas no local. O Victoria & Alfred recebe 22 milhões de visitantes por ano e é a maior atração turística do continente africano.
Foto: Shutterstock

Victoria & Alfred Waterfront, Cidade do Cabo, África do Sul

Umas das grandes atrações do revitalizado porto da Cidade do Cabo (Capetown) é o aquário Two Oceans, que mostra a extraordinária vida marinha dos oceanos Índico e Atlântico, com cerca de 3 mil animais marinhos vivos.
Foto: Divulgação Victoria Alfred Waterfront

Victoria & Alfred Waterfront, Cidade do Cabo, África do Sul

A roda gigante com mais de 50 metros de altura proporciona uma vista completa e atrai visitantes do mundo todo que passam pela cidade. As áreas turísticas e de lazer foram valorizadas com a construção de shoppings, hotéis e restaurantes, tornando o porto uma referência em entretenimento.
Foto: Shutterstock

Victoria & Alfred Waterfront, Cidade do Cabo, África do Sul

A mobilidade é favorecida pelo sistema de transportes com estação ferroviária e um sistema intermodal com ônibus e barcos: uma inspiração para o Cais Mauá, que terá fácil acesso por trem metropolitano, catamarã, coletivos, carros, bicicleta ou a pé.
Foto: Divulgação Victoria Alfred Waterfront

Inner Harbor, Baltimore, EUA

Desde o século XVIII, o porto de Batimore, em Maryland, nos Estados Unidos, passou por diversas fases: foi o maior polo de estaleiros dos Estados Unidos, ponto de processamento de ostras, porto militar, até entrar em decadência. A intervenção que o transformou iniciou em 1980. Hoje, mais de 30 anos após a revitalização, continua pulsante: é o principal ponto turístico e de lazer da cidade, com museus, hotéis, lojas, bares e restaurantes. O principal ponto de compras e gastronomia é o Harborplace.
Foto: Shutterstock

Inner Harbor, Baltimore, EUA

Construído em 1855 e inicialmente instalado no meio do Rio Patapsco para sinalização, um velho farol foi recuperado e colocado junto ao Inner Harbor. Hoje, o Seven Foot Knoll Light pertence ao Museu Marítimo de Baltimore e é um símbolo do porto revitalizado e de seu compromisso de desenvolvimento aliado à manutenção da história: uma inspiração para Porto Alegre. Na casa do farol, quando ficava em meio ao rio, antes da desativação, já moraram famílias de faroleiros, responsáveis pela sinalização.
Foto: Shutterstock

Inner Harbor, Baltimore, EUA

Além de diversos museus de arte e história, o Inner Harbor conta com o Maryland Science Center, com atrações imperdíveis para as crianças, como um cinema IMAX, um planetário e esqueletos de dinossauros.
Foto: Divulgação Maryland Science Center

Inner Harbor, Baltimore, EUA

Entre as atrações do Inner Harbor estão espaços para espetáculos musicais e concertos, como o Pier Six Pavillion, para eventos ao ar livre e sob uma lona.
Foto: Shutterstock

Inner Harbor, Baltimore, EUA

A paisagem de um dos mais belos portos norte-americanos pode ser vista por locais e turistas a partir das águas do Rio Patapsco, por passeios noturnos e diurnos de barco nos quais a história e característica do lugar são narradas por guias turísticos. Em Porto Alegre, os passeios turísticos pelo Guaíba, como no barco Cisne Branco, ganharão mais vida com o novo Cais Mauá. Outra atração do Inner Harbor é o Aquário Nacional.
Foto: Divulgação Maryland Science Center

ESTAÇÃO DAS DOCAS, BELÉM (PA), BRASIL

A Estação das Docas é o resultado da restauração do antigo porto fluvial de Belém. Inaugurada no ano 2000, é uma referência no turismo paraense, oferecendo muitas atrações culturais, de moda, lazer e gastronomia.

Foto: Leonardo Brant/Divulgação CMB

ESTAÇÃO DAS DOCAS, BELÉM (PA), BRASIL

Com 500 metros de extensão, a orla da baía do Guajará abriga três armazéns, que originalmente possuíam uma arquitetura característica da segunda metade do século XIX, sendo constituídos em ferro inglês. Hoje são o Boulevard das Artes, o Boulevard da Gastronomia e o Boulevard de Feiras e Exposições. Ainda completam o local o Teatro Maria Sylvia Nunes e o Anfiteatro São Pedro Nolasaco, que nasceu da revitalização das ruínas do Forte São Pedro Nolasco, destruído em 1825 após a Cabanagem.

Foto: Leonardo Brant/Divulgação CMB

ESTAÇÃO DAS DOCAS, BELÉM (PA), BRASIL

O espaço oferece muitas manifestações artísticas, com projetos culturais gratuitos aos visitantes durante todo o ano: o “Pôr-do-Som” que apresenta espetáculos folclóricos, o “Música no Ar” com intérpretes tocando e cantando o Pará, além do melhor da música brasileira e internacional, o “Cine Estação”, com seu circuito de filmes alternativos e o “Teatro ao Pôr-do-Sol” que oferece peças infantis nos domingos às 17h30.

Foto: Leonardo Brant/Divulgação CMB

ESTAÇÃO DAS DOCAS, BELÉM (PA), BRASIL

Com uma circulação estimada de mais 3.500 pessoas por dia e mais de um milhão de visitantes por ano, a Estação das Docas se transformou em um dos espaços mais conhecidos e significativos do Pará.

Foto: Leonardo Brant/Divulgação CMB

PUERTO MADERO, BUENOS AIRES, ARGENTINA

Uma área degradada que se transformou em um dos mais descolados bairros de Buenos Aires. Este é Puerto Madero, um polo gastronômico e um ótimo lugar para visitar e sair à noite na cidade de Buenos Aires.

Foto: Shutterstock

PUERTO MADERO, BUENOS AIRES, ARGENTINA

Puerto Madero foi construído entre o final do século XIX e o início do XX. Após ficar desativado por mais de 50 anos, o local passou a ser recuperado a partir de 1989, com a intenção de reintegrar a cidade ao rio. O resultado é um dos bairos mais jovens da capital argentina, com diversas atrações artísticas, culturais e gastronômicas. Suas ruas fazem homenagem a mulheres famosas em ciências, artes e política do país.

Foto: Cais Mauá

PUERTO MADERO, BUENOS AIRES, ARGENTINA

Entre as diversas opções que o local oferece destacam-se bares e restaurantes com arquitetura diferenciada, monumentos (como o Monumento al Tango e a Fuente de las Nereidas), museus (como o Museo Del Humor, Museo de Calcos y Escultura Comparada Ernesto de La Cárcova), o Yatch Club Argentino, além de parques, praças, reservas e muito mais. Uma das mais belas atrações é a “Puente de La Mujer”, que representa a imagem de um casal dançando tango.

Foto: Shutterstock



PUERTO MADERO, BUENOS AIRES, ARGENTINA

Em Puerto Madero funcionam escritórios de grandes empresas, bares e restaurantes famosos, uma universidade, hotéis de luxo, museus e um cassino flutuante.  É um dos mais belos pontos turísticos da capital e atrai milhares de turistas todos os anos.